Acompanhamento das pastorais/movimentos dentro do Projeto Jubileu 200:


Pe. Cornelius

Pastoral do Batismo;

EAC;

Pastoral da Sobriedade;

Pastoral da Pessoa Idosa;

Pastoral da Esperança;

Apostolado da oração;

Legião de Maria;

Pastoral Vocacional;

Oficina de Oração e Vida;

Amor Exigente;

Coroinhas,

Juscc;

Vicentinos;

Coordenação das Comunidades Rurais



Pe. Sebastião

Catequese;

Aldeias de Vida;

Pastoral da Criança;

Pastoral da Saúde;

Pastoral Familiar;

ECC;

MFC;

MCC;

Mesce;

EJC;

Pastoral Litúrgica;

Pastoral do Dízimo;

RCC (Água Viva e Ministério Jovem);

Pastoral Carcerária,

Pastoral da Comunicação;

OCDS;

Comunidade Luz e Vida;

Coordenação das Comunidades Urbanas.

PROJETO JUBILEU 200 - BICENTENÁRIO DA PARÓQUIA SENHOR BOM JESUS CAMPO BELO - DIOCESE DE OLIVEIRA

Introdução

Jubileu é tempo de graça. A fé cristã herdou dos israelitas o costume de celebrar de cinquenta em cinquenta anos um jubileu. No Evangelho de Lucas, deparamos com a passagem de Jesus num dia de sábado na Sinagoga de Nazaré, lendo o profeta Isaías que falava sobre o ano jubilar. Jesus aplica a si o texto da Sagrada Escritura, ao afirmar: “hoje se cumpriu essa passagem que acabastes de ouvir” (Lc 4).

Em 2015, a Paróquia Senhor Bom Jesus inicia o triénio de preparação para o Grande Jubileu do bicentenário de sua instalação canônica (1818-2018). Será o ano de Ver a realidade paroquial, valorizar o caminho percorrido, fazer memória dos antepassados e recorrer à fonte da graça, para que, a exemplo da Virgem Maria, aos pés da cruz, reaprenda a lição da prova maior de amor que o Senhor Bom Jesus nos transmite e que muitas vezes cantamos em nossa liturgia: “Prova de amor maior não há, do que doar a vida pelo irmão”. No primeiro ano do triénio, desponta o horizonte desafiador de Ver a realidade; empenhar-se no serviço de reestruturar as comunidades urbanas e rurais, pastorais, movimentos, associações e ministérios presentes na paróquia para que a missão de construir uma nova paróquia - Comunidade de comunidades seja levada a bom termo.

Em 2016, segundo a metodologia adotada pela Igreja no Brasil, será o ano do Julgar, isto é, iluminar a realidade com a Palavra de Deus e os ensinamentos da Magistério da Igreja. A paróquia obediente às orientações das Diretrizes da ação pastoral e evangelizadora da CNBB e ao Plano diocesano de Pastoral, oferecerá aos seus fiéis uma formação bíblica e doutrinária. Tudo isso para praticar o ensinamento do Senhor Bom Jesus e ser, de fato, casa de acolhida e vida fraterna, lugar da Iniciação Cristã, casa do Pão da Palavra e da Eucaristia, comunidade samaritana, misericordiosa e comprometida com a cidadania que leva a defender a dignidade da pessoa humana. Neste ano também, procurar-se-á estabelecer um diálogo maior tanto interno quanto externo, conscientes que unidos somos mais fortes para implantar a cultura da paz em nossa sociedade.

Em 2017, encerrando o triénio, o olhar da paróquia irá descortinar o horizonte do Agir, através do anúncio daquela afirmação de fé que converteu incontáveis homens e mulheres: Jesus Cristo morto e ressuscitado é o Senhor. Ele vive e nos convoca para construirmos o Reino de Deus, eis a grande missão de todos os cristãos. Como discípulos e missionários do Reino, teremos a oportunidade de abraçar a missão como processo permanente na vivência da fé cristã. Todo católico batizado é, na sua essência, missionário.

Em 2018, Ano Jubilar, a Paróquia irá celebrar o tempo da graça do Senhor Bom Jesus. Momento oportuno para o testemunho de comunhão, gratidão pelo bicentenário e renovação dos compromissos batismais de viver como Jesus viveu, amar como Ele amou e mergulhar no mistério da Santíssima Trindade para viver a vida com Deus. Ano de festa, de alegria, de celebração do mistério pascal com todos os seus desdobramentos. Enfim, ano da graça do Senhor. Tempo de misericórdia, perdão e bênçãos.

Em 2019, a paróquia irá avaliar o caminho percorrido no triénio e na celebração jubilar para isso será necessário rever o serviço, o diálogo, o anúncio e o testemunho de comunhão para depois lançar metas a serem alcançadas, a partir de tudo o que foi realizado e celebrado. Começará uma nova etapa para a celebração do Jubileu dos 250 anos.

A história é dinâmica e não para, por isso convocamos todos os paroquianos para o envolvimento e participação neste tempo de preparação e celebração do Jubileu 200, na certeza de que não nos faltará a graça de Nosso Senhor, o Bom Jesus.

Justificativa

A celebração do Jubileu 200 anos se justifica porque a Paróquia Senhor Bom Jesus tem colaborado para a ação evangelizadora e pastoral da Igreja na Diocese de Oliveira, na Forania e no município de Campo Belo. Grande é a contribuição oferecida pela Paróquia Senhor Bom Jesus para a sociedade campo-belense ao longo desses dois séculos, não só na dimensão religiosa, espiritual; mas também no campo da educação, arte, cultura e cidadania. Os templos da Paróquia, a saber: Matriz, Nova Matriz e Capela N. Sra. Aparecida (Cruzeiro) constituem verdadeiros cartões postais da cidade. O jeito de ser do povo de Campo Belo tem a marca da fé cristã. O antigo Colégio São José, com as irmãs Servas do Espírito Santo, ajudou na formação de inúmeras moças que exerceram ou exercem hoje um papel determinante na história de Campo Belo, nos diversos segmentos da sociedade. O colégio Dom Cabral continua sendo uma referência no campo educacional. A presença dos padres crúzios holandeses que, muito contribuíram para a obra evangelizadora da população campo-belense, por mais de 50 anos à frente da Paróquia Senhor Bom Jesus. Os filhos de Campo Belo que escutaram e atenderam ao chamado do Senhor Bom Jesus para o serviço na Messe, através do sacerdócio e da vida religiosa. Há dois sacerdotes que morreram com fama de santidade e que exerceram o ministério presbiteral na Paróquia, Pe. Alberto Fuger e Pe. José Erlei de Almeida. Celebrar o Jubileu é oportunidade para fazer memória, agradecer e renovar a convicção de que vale a pena continuar escrevendo a história.

A preparação e celebração do Jubileu dos 200 anos de instalação canônica da Paróquia serão momentos de comunhão, integração, avaliação, aprimoramento, louvor e ação de graças à Santíssima Trindade por todos os benefícios alcançados.

Objetivo geral

Preparar e celebrar, à luz da metodologia usada pela Igreja (ver, julgar, agir, celebrar e avaliar), com alegria e gratidão, a história de 200 anos de evangelização da Paróquia Senhor Bom Jesus, que é a segunda Paróquia mais antiga da Diocese de Oliveira. Comunidade de comunidades marcada pelo amor à Eucaristia e abertura acolhedora ao novo que o Espírito Santo suscita no seio da Igreja. Buscar uma frutuosa conversão para comemorar o Jubileu, como tempo forte de reconciliação e de graça.

Objetivos específicos

1.       Conhecer a realidade paroquial, através de levantamento feito junto às pastorais e movimentos;

2.       Fortalecer o trabalho pastoral e “pescar” novos missionários para a ação evangelizadora;

3.       Formar as lideranças, de acordo com a orientação do Magistério da Igreja;

4.       Atender às exigências da Igreja, de acordo com a demanda dos tempos atuais, seguindo a inspiração do Papa Francisco que acena para uma Igreja em saída, que promove a cultura do encontro;

5.       Criar uma consciência de discípulos missionários que celebram o Grande Jubileu 200, com a responsabilidade de continuar escrevendo a bonita história da construção do Reino de Deus, enquanto comunidade paroquial.

6.       Rezar, festejar, agradecer e celebrar os 200 anos de Paróquia Senhor Bom Jesus.

Ações Metodológicas

2015 - VER = SERVIÇO = REESTRUTURAÇÃO

          Elaboração de calendário paroquial, priorizando a participação dos padres nas reuniões das pastorais, movimentos, associações e serviços para conhecer a situação de cada célula viva da paróquia. Além das reuniões, encontros, retiros e cursos.

          Implantação das pastorais da Acolhida, visitação e escuta

          Nos meses de Maio, Junho e julho = visitas às famílias, instituições e comércios presentes na paróquia para levantamento da realidade (trabalho de pesquisa)

          Toda pastoral/movimento deverá realizar 2 encontros de formação e aprofundamento do seu carisma, ocasião propícia para convidar os afastados.

           Valorização dos tempos fortes: quaresma e semana santa; período da visitação, semana da família; novena do Padroeiro; advento e natal.

        Formulação do Novo Plano Diocesano de Pastoral e das Diretrizes da Ação Evangelizadora da CNBB

        Serviço prioritário no campo social aos enfermos, idosos, S.O.S e Pastoral da Sobriedade

        Exigência da organização da catequese e de Equipe de Liturgia em todas as comunidades rurais e urbanas.

           Fortalecimento da Pastoral do Dízimo, buscar novos agentes missionários para o trabalho. Organizar a Pastoral do Dízimo nas comunidades rurais.

           Dinamizar a Pastoral da Comunicação, arrebanhar novos agentes e profissionais do ramo.

        Na dimensão administrativa: continuar as obras nas comunidades Mãe Rainha, São Luiz, Santa Casa e Porto dos Mendes. Iniciar a construção da Capela de Santa Teresinha. Dar andamento às obras de restauração da Matriz (projeto da criação do museu) e Nova Matriz. Maior envolvimento das comunidades e pastorais nas festas sociais dos padroeiros, principalmente do Senhor Bom Jesus.

        Formação de novos catequistas e investimento maior na catequese de adultos

        Mudança no atendimento paroquial: secretaria e agenda dos padres

2016 - JULGAR = DIÁLOGO = FORMAÇÃO

        Estudar o Novo Plano Diocesano de Pastoral e as Diretrizes da Ação Evangelizadora da CNBB

        Investir na formação espiritual: motivar as oficinas de oração e vida;  estudo para os grupos do Terço dos Homens; momentos de Adoração ao Santíssimo Sacramento para as pastorais e movimentos; formar um grupo de espiritualidade para dinamizar a oração do Ofício Divino nas comunidades; curso sobre Espiritualidade Cristã para coordenadores de pastorais/movimentos e comunidades; motivar a catequese para favorecer aos catequizandos uma verdadeira experiência de Deus.

        Elaborar uma cartilha catequética para as famílias sobre: sacramentos, espiritualidade e preservação do meio ambiente.

        Organizar uma comissão paroquial da cidadania (Fé e Política).

           Nos meses de Maio, Junho e julho = visitas às famílias, instituições e comércios presentes na paróquia para avaliar o que mudou desde a última visita.

        Toda pastoral/movimento deverá realizar 2 encontros de formação e aprofundamento do seu carisma, ocasião propícia para convidar os afastados.

        Valorização dos tempos fortes: quaresma e semana santa; período da visitação, semana da família; novena do Padroeiro; advento e natal.

        Implantação do Dízimo Mirim, a partir da Catequese

        Reencontros para cursilhistas, casais do ECC, Aldeeiros, RCC, EAC, EJC, etc.

  No Mês de  Maio, promover Seminários de Mariologia e Formação Mariana para os “anjinhos”, familiares e agentes de Pastoral. Exposição Mariana com trabalhos confeccionados pelos catequizandos.

        No campo social, trabalhar o carisma dos vicentinos. Elaborar panfletos para distribuir sobre as atividades realizadas e organizar momentos de formação.

        Lançamento do concurso musical para escolha do Hino do Padroeiro.

  Propor à Academia Campo-belense de Letras escrever um livro que conte a história dos 200 anos  da Paróquia, a ser lançado no Jubileu.

        Organizar em parceria com o Conselho de Pastores a Semana de Unidade dos cristãos e outros eventos ecumênicos.

        Lançar a Rede Cultural (desenhos, poesias, gincanas, Shows musicais, cinema paroquial, hora dançante, baile da saudade, evangelização virtual, artesanato, etc)

2017=AGIR- ANÚNCIO - MISSÃO

          Criar a Infância e adolescência Missionária, com assessoria da POM

          Formar jovens para o Projeto Juventude evangelizada evangeliza

           Curso de formação sobre os 6 elementos essenciais da fé cristã: o nome de Jesus de Nazaré; a sua doutrina; a sua vida; as suas promessas; o seu Reino; e o seu Mistério.

          Continuar com as semanas missionárias nas comunidades rurais e urbanas

           Dar atenção à religiosidade popular (organizar romarias, encontro paroquial do Terço dos Homens, Encontro dos grupos de folia de Reis e do Congado, caminhadas, etc)

          Missões Populares em dois níveis: Diocesano e Congregação Religiosa

          Nova setorização da Paróquia e incentivo para criação de pequenos grupos de reflexão

          No campo social: dar atenção especial aos órfãos, viúvas(os) e encarcerados

          Encontros com os poderes públicos

          Reunião com os professores cristãos para partilha e formação

2018 = CELEBRAR - TESTEMUNHO DE COMUNHÃO - GRATIDÃO E COMPROMISSO

Programação específica a ser elaborada pelo CPP, CPAE e os agentes de Pastoral.

2019 = REVER - SERVIÇO - DIÁLOGO - ANÚNCIO - TESTEMUNHO DE COMUNHÃO - A VALIAÇÃO E METAS PARA O TRIÉNIO

Tenha você também a sua rádio